Nome*:
Telefone*:
E-mail*:
Mensagem:

Orçamento Online
Notícias
  • 26 nov 2019

    Descubra como cuidar da área comum do seu condomínio

    Limpeza e manutenção constantes do condomínio, principalmente da área comum, são muito importantes para a valorização do imóvel. Um ambiente saudável, seguro, livre de desorganização e sujeira, contribui para o bom convívio de moradores e funcionários, além de agregar valor condominial.  

    Você sabe quais áreas demandam mais atenção? Não sabe por onde começar? Quer saber como fazer isso? Confira a seguir!

    Limpeza

    A principal manutenção às áreas de comum acesso é a limpeza. Elevadores, áreas de lazer, hall, portaria e garagem devem sempre estar em bom estado de conservação. Isso agrega muito valor ao condomínio e também gera bem estar para aqueles que frequentam. 

    É importante manter organizado os locais de grande circulação mantendo-os sempre limpo, com aspecto e cheiro agradáveis. Por esse motivo, uma equipe especializada no ramo da limpeza faz total diferença na hora de pensar na manutenção do condomínio. 

    Jardinagem 

    A área verde do condomínio precisa estar sob constante cuidado, afinal, um imóvel com plantas saudáveis transmite uma sensação de bem estar para todos aqueles que compartilham daquele espaço.

    Contudo, cuidar de jardins em geral não é tarefa fácil. Plantas exigem cuidados diferenciados para cada espécie. A orientação de um jardineiro ou paisagista é indispensável no momento da manutenção.

    Por isso é sempre recomendada a contratação de um serviço especializado que realize tais tarefas.

    Manutenção de equipamentos

    Pensando na segurança de funcionários e moradores é muito importante uma manutenção periódica dos equipamentos do prédio. Tenha sempre certeza de que todas as câmeras estão funcionando e que as imagens sejam armazenadas por determinado tempo.

    Outro fator importante é a iluminação. É indispensável que garagens, corredores e playgrounds, por exemplo, não fiquem no escuro, a fim de evitar acidentes e prevenir assaltos e outros crimes nessas áreas de grande movimentação.

    Se você tem dúvida e deseja valorizar seu imóvel, a HS Conservadora tem uma equipe especializada para cuidar do seu condomínio. Entre em contato com a gente!

    Comente Comente

  • 20 nov 2019

    Empresas e condomínios são áreas de grande circulação, onde pessoas convivem, trabalham e interagem de alguma forma. Por esse motivo é preciso muita atenção e cuidado quando o assunto é conservação e limpeza desses locais. Terceirizar pode trazer muitas vantagens. Confira:

    Se você é dono de uma empresa ou administra um condomínio sabe que o serviço de manutenção em geral é algo essencial para manter um ambiente que, além de saudável, está em conformidade com os padrões de segurança necessários para todos que frequentam o ambiente.

    Uma manutenção inadequada coloca em risco as pessoas que utilizam aquele local e qualquer acidente causado por falhas na conservação pode acarretar punições, comprometendo o funcionamento ou a sobrevivência da organização. 

    Por esses motivos o ramo de terceirização de limpeza vem crescendo consideravelmente nos últimos anos. Mas quais são as reais vantagens? Separamos uma lista com a principais: 

    Maior disponibilidade de profissionais e equipamentos

    Uma das vantagens da terceirização é a variedade de profissionais disponíveis. Se um funcionário de limpeza passar mal, por exemplo, a empresa fornecedora manda outro profissional para atender às demandas. Isso evita o acúmulo de serviços e preserva o ambiente limpo sem gerar maiores transtornos para o contratante. 

    Qualidade no resultado final

    Muitas vezes, a empresa ou condomínio não tem experiência na contratação direta de profissionais de limpeza, o que pode gerar transtorno nos serviços realizados a curto e longo prazo. A empresa contratada para o serviço conta com profissionais treinados e equipamentos ideais para cada tipo de ambiente, garantindo que seu ambiente fique limpo e saudável, sem desperdícios ou mau uso.

    Foco na atividade fim

    Ao terceirizar esse serviço, você poderá dedicar seu total tempo e esforço para a atividade fim desejada. Todo o serviço, burocracia e escolha de funcionários fica por conta da empresa contratada.

    Melhor custo-benefício

    Uma das maiores vantagens da terceirização é, sem dúvida, o menor custo para as empresas contratantes. O fato de não haver vínculo empregatício com o profissional e não ser necessário o fornecimento de materiais e equipamentos, garante à empresa ou ao condomínio uma redução significativa de despesas. 

    Como o serviço é prestado através de um contrato, a empresa só precisará gastar aquilo que foi estipulado anteriormente, e não precisará se preocupar com gastos a mais. 

    Além disso o serviço realizado por profissionais treinados aumenta a produtividade e ganhos de escala, seja com a aplicação de procedimentos e treinamentos específicos e/ou com a utilização os equipamentos corretos.
    Terceirizar a limpeza da sua empresa garante qualidade, eficiência, melhor custo-benefício e alta produtividade. Não espere para mudar. A equipe da HS Conservadora está pronta para ajudá-lo. Entre em contato com a gente!

    Comente Comente

  • 12 nov 2019

    Nessa época de chuvas constantes é normal o aparecimento de infiltrações nos condomínios. Saiba como resolver esse problema.

    Quem mora em apartamento sabe bem o transtorno que uma infiltração pode causar. O problema acontece quando a água, muitas vezes proveniente de chuva, atravessa as construções, danificando tetos e paredes do edifício.  

    Quando isso acontece é necessária muita atenção no momento do reparo, pois a manutenção mal feita pode resultar no retorno da infiltração. 

    Como identificar uma infiltração? 

    São manchas úmidas no teto, parede ou chão. Muitas vezes as manchas contêm cheiro de mofo, devido à umidade e, em casos mais graves, é possível perceber presença de água nas paredes.

    Como prevenir?

    Manutenções periódicas são essenciais para que infiltrações não apareçam em seu condomínio. Troca de canos antigos, vistorias nos apartamentos e em salões são exemplos de serviços que podem ser feitos a fim de evitar o problema.

    Essa responsabilidade fica por conta os Síndico ou administradora do condomínio, além dos moradores que devem ficar atentos e informar caso haja alguma suspeita de infiltração. 

    Como resolver o problema? 

    Há alguns anos atrás era necessário quebrar as paredes do edifício para chegar na origem da infiltração. Hoje, a tecnologia permite que isso seja feito a partir de uso de aparelhos que auxiliam no momento do reparo. 

    HS Conservadora

    A terceirização para soluções de serviços gerais está cada vez mais em alta em Juiz de Fora. A HS Conservadora é referência nesse ramo, trabalhando com transparência e excelência. Oferecemos qualidade de serviço em terceirização de mão de obra, limpeza, conservação, portaria, zeladoria e vigilância.

    Conte com a gente para a manutenção da sua empresa ou condomínio. Entre em contato conosco!

    Comente Comente

  • 16 maio 2019

    A limpeza e conservação do condomínio exige planejamento e rotina. Como fazer isso e garantir que as tarefas sejam bem executadas?

    Manter a limpeza e conservação do condomínio demanda organização, tempo e  atenção. Para garantir que todas as áreas estejam sempre limpas e conservadas, o ideal é que se crie um planejamento, com uma rotina de limpeza. Assim, os funcionários não se perdem, os condôminos não se surpreendem com a limpeza e as áreas comuns do condomínio ficam sempre limpas.

    Mas como organizar a rotina de limpeza? Por onde começar? Algumas dicas podem te ajudar!

    1. Separe as áreas que precisam de limpeza por urgência e frequência

    Condomínios geralmente têm uma vasta área a ser limpa. No entanto, em alguns casos, é impossível/ desnecessário, que todas sejam limpas todos os dias. Por isso, montar um planejamento com todos os espaços e elencá-los segundo a necessidade de limpeza é um bom começo.

    A portaria, por exemplo, é um lugar de grande movimentação e, por isso, merece maior atenção. Pode ser limpa todos os dias. Diferente das escadas, que têm uma circulação menor de pessoas (especialmente em prédios com elevador) e nem sempre precisam passar por limpeza todos os dias.

    Para facilitar, na hora de separar os espaços, pense sempre na quantidade de pessoas que o utiliza e quantas vezes por semana/por mês ou no ano. Devem ser considerados, por exemplo:

    • Hall de entrada, portaria ou recepção;
    • Corredores;
    • Elevadores;
    • Escadas;
    • Garagem;
    • Banheiros;
    • Sala e cozinha dos funcionários;
    • Quartinho para lixeiras (quando houver estes espaços);
    • Jardim;
    • Áreas de lazer e complementares – playground, sala de jogos, área de churrasqueira, piscina, salão de festas, auditório, etc.
    2. Estabeleça os dias e horários para limpeza dos espaços

    É importante fixar dias e horários para limpar cada área. Assim o faxineiro (a) não se perde e consegue se organizar para limpar todos os espaços de acordo com o planejamento. Além disso, os condôminos também se planejam, quando necessário, para que não haja transtornos durante o período de limpeza.

    Também é importante se atentar para que a rotina de limpeza não afete horários de pico ou dias em que os ambientes são mais utilizados.

    Por exemplo, salões, áreas de lazer, devem ser limpos em dias de semana (segundas, ou terças). Esses são dias em que, geralmente, menos pessoas vão utilizar esses ambientes. Elevadores, escadas e corredores podem ser limpos em horário comercial, quando há menos circulação. A portaria deve ser a primeira a receber a limpeza…

    As garagens, geralmente, são faxinadas com menos frequência, mas é essencial que todos sejam avisados da limpeza com antecedência para que se programem e retirem os carros, se necessário.

    Se julgar necessário, fixe os horários de limpeza de cada local em um espaço que todos tenham acesso.

    3. Monte a rotina de limpeza

    Feito o planejamento, para garantir a execução e controle das tarefas, monte a rotina de limpeza em uma planilha. Considere onde limpar, quando e com que frequência. E especifique o tempo em que deve ser executada a limpeza. Como exemplo:

    • Hall de entrada – limpar diariamente – de 7h às 8h;
    • Corredores – limpar cada um, uma vez por semana – de 14h às 15h;
    • Garagem – limpar uma vez por mês – na 1ª segunda-feira do mês – de 13h às 17h;
    • Vidros – limpar quinzenalmente – às quintas-feiras, de 8h às 11h.

    Precisa de ajuda com a limpeza e conservação do condomínio? Entre em contato com a HS Conservadora!

    Conheça nossos serviços!

     

     

     

    Comente Comente

  • 09 maio 2019

    Você mora de aluguel ou loca seu imóvel para terceiros? Sabe quais são suas responsabilidades com o condomínio e o que compete ao proprietário.

    Quem mora de aluguel deve ter ciência de que as obrigações com o condomínio são divididas entre o inquilino e o proprietário do imóvel. Você sabe o que é de responsabilidade de cada um?

    Quais despesas devem ser quitadas pelo morador e quais ficam por conta do dono do apartamento – ou casa? O inquilino deve participar das decisões do condomínio? Do que ele deve ser informado e do que não precisa ter ciência? Do que ele pode ser responsabilizado? Em quais situações o proprietário é o responsável?

    Estas são as dúvidas mais comuns de quem tem um imóvel e vai alugar e de quem entra em um condomínio como inquilino. É importante que estas questões sejam bem esclarecidas entre todas as partes para que não haja surpresas.

    Despesas, direitos e responsabilidades do inquilino

    O inquilino é responsável pelos gastos de rotina e de manutenção do condomínio. Por isso, é ele quem arca com a Taxa Condominial, que reúne as despesas desse tipo. Alguns exemplos são:

    • consumo (energia, água, esgoto, por exemplo);
    • despesas de manutenção (de elevadores, jardim, limpezas, pequenos reparos de rotina);
    • salários de funcionários e prestadores de serviços – incluindo os encargos fiscais e trabalhistas;
    • gastos administrativos;
    • aluguel de áreas comuns (garagem, salão de festas, academia, etc);
    • seguro condominial, taxa de incêndio, IPTU do condomínio, taxa de coleta de lixo, limpeza urbana e iluminação pública.

    Por lei, estas despesas ficam sob a responsabilidade do morador. Caso a taxa condominial não seja paga pelo inquilino, a cobrança pode cair na responsabilidade do proprietário.

    Quanto aos direitos do inquilino no condomínio, é importante que não haja diferenciação entre os moradores: tanto proprietários, quanto pessoas que moram de aluguel devem usufruir da mesma forma do condomínio.

    No entanto, os inquilinos não participam de decisões do condomínio. Isto é de responsabilidade do proprietário do imóvel, que também é responsabilizado por eventuais problemas e arca com multas e taxas extras quando necessário.

    No caso de multas causadas pelo comportamento do inquilino, o proprietário deve informar e entrar em acordo com o morador, repassando a advertência.

    O inquilino, que não é considerado condômino, nunca poderá ser diretamente cobrado pelo condomínio, bem como não poderá exigir algo diretamente. Tudo deve passar pelo proprietário.

    Despesas, direitos e deveres do proprietário

    O proprietário é responsável pelas despesas extraordinárias, como obras. A cobrança é feita em conjunto com as despesas ordinárias, mas o pagamento é de responsabilidade do dono do imóvel.

    São consideradas despesas extraordinárias, por exemplo:

    • Fundo de reserva;
    • Fundo ou rateio de obras;
    • Fundo de melhorias;
    • Fundo de benfeitorias;
    • Fundo de inadimplência;
    • Rateio extra;
    • Rateio para reformas

    Como responsável pelo imóvel, o proprietário deve estar presente em assembleias e participar de todas as decisões do condomínio, bem como estar ciente das mesmas e, eventualmente, informar seu inquilino sobre o que for de seu interesse.

    Ainda que não resida no condomínio, o proprietário pode ser eleito síndico, pode reivindicar melhorias e fazer cobranças junto à administração.

    Enquanto o imóvel estiver alugado, o proprietário deve observar que é o inquilino quem tem direito à utilização dos espaços. Em nenhuma hipótese é prevista ou resguardada a entrada do proprietário no imóvel sem autorização ou conhecimento prévio do morador.

    Estas não são especificidades que podem ser acordadas entre inquilino e proprietário. As obrigações e direitos de ambos estão previstas em lei e devem ser respeitadas. É comum que não estejam também especificadas nos contratos de aluguel, mas imprescindível que as partes conheçam seus direitos e deveres perante o condomínio.

    Como vai a manutenção e limpeza de seu condomínio? Conheça os serviços da HS Conservadora!

    Comente Comente

  • 24 abr 2019

    Seu condomínio tem regras para mudanças? Elas são muito essenciais para que não haja incômodo ou imprevistos na chegada ou saída de moradores

    Mudança sempre exige muito tempo, esforço e organização dos moradores. Quando você está mudando de um condomínio, ou para um condomínio, então, esses detalhes precisam de ainda mais atenção. Assim, evita-se que a mudança seja um incômodo na rotina dos vizinhos e de pessoas que frequentam o local.

    O seu condomínio tem um regulamento para mudanças? Sendo bem claras e de conhecimento de todos, as regras são uma ótima solução para que ninguém seja surpreendido ou que a mudança atrapalhe a rotina do condomínio.

    Entre as principais normas devem estar: dias e horários, agendamento, responsabilidade por danos e pela mudança, utilização dos espaços do condomínio (especialmente dos elevadores).

    1. Reserve dias específicos na semana e horários para as mudanças

    Especifique os dias da semana e horários em que são permitidas as mudanças. Por exemplo, de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h.

    Nos fins de semana e à noite, geralmente, há mais moradores em casa, e/ou maior fluxo de moradores nas dependências do condomínio e, por isso, as mudanças tendem a ser incômodas. O horário comercial é mais conveniente por isso.

    2. Agendamento prévio

    Imagine um morador de saída do prédio e outro chegando… Se uma mudança já é capaz de atrapalhar a ordem no condomínio, imagine duas. Por isso, é extremamente necessário que o condômino agende com antecedência a data e o horário em que pretende se mudar.

    Assim, não há riscos de ter alguém se mudando no mesmo horário ou algum outro imprevisto que impeça a mudança (uma obra, por exemplo, ou a manutenção de um elevador).

    3. Responsabilidade por danos e pela mudança

    O condomínio precisa se resguardar da responsabilidade de possíveis danos causados na mudança e de qualquer incidente com móveis ou materiais do condômino que está em mudança.

    Um termo de compromisso ou uma cláusula no regulamento podem ser boas soluções para que o condomínio não tenha prejuízos com as mudanças. O ideal é que o morador/ condômino que esteja entrando ou saindo do condomínio se responsabilize pela mudança (isentando o condomínio de imprevistos com os móveis e pertences), arcando também com possíveis problemas (pequenos estragos nas paredes ou pisos do condomínio, por exemplo).

    Essa responsabilidade também pode ser atribuída ao dono do imóvel, em caso de alugueis.

    4. Utilização dos espaços do condomínio

    Durante a mudança é natural que alguns espaços de uso comum fiquem obstruídos, ao menos por um tempo, como por exemplo o elevador, garagem e os corredores.

    É importante que um zelador, porteiro ou algum funcionário do condomínio fique responsável por monitorar e controlar o fluxo da mudança e de moradores no período em que durar a mudança.

    Para melhorar a organização das mudanças, o condomínio pode ainda manter um registro da empresa responsável e do morador; ter um funcionário para organizar e limpar as dependências do condomínio e para orientar as pessoas envolvidas na mudança.

    Precisando de funcionários para a zeladoria do condomínio? Conheça os serviços da HS Conservadora e faça seu orçamento!

    Comente Comente

HS Conservadora Todos os Direitos Reservados | 2013
Deselvolvido por Futuro Comunicação Aprimorar Desenvolvimento